Comentários

Página 87 de 157

Com um total de 1568 comentários.

Página:  Anterior  1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14  15  16  17  18  19  20  21  22  23  24  25  26  27  28  29  30  31  32  33  34  35  36  37  38  39  40  41  42  43  44  45  46  47  48  49  50  51  52  53  54  55  56  57  58  59  60  61  62  63  64  65  66  67  68  69  70  71  72  73  74  75  76  77  78  79  80  81  82  83  84  85  86  87  88  89  90  91  92  93  94  95  96  97  98  99  100  101  102  103  104  105  106  107  108  109  110  111  112  113  114  115  116  117  118  119  120  121  122  123  124  125  126  127  128  129  130  131  132  133  134  135  136  137  138  139  140  141  142  143  144  145  146  147  148  149  150  151  152  153  154  155  156  157  Seguinte
Mensagem:  708
Data:  4/14/2005 7:28:21 PM
Nome:  VENUS CREATIONS
País:  CANADÁ
E-mail:  Contactar
Website:  Ver Página
Comentário:  
Grupo dos Amigos de Olivença.
www.olivenca.org.
Divulgação 04-2005.
No âmbito do Ciclo de Conferências «Portugal, Olivença e a Dinâmica Peninsular», promovido pelo GAO, realizou-se no dia 18 de Abril o Colóquio/Debate sobre «A Constituição da República e a Questão de Olivença», com a participação do Professor Jorge Miranda e moderado pelo Jornalista Carlos Albino.
Expondo o seu entendimento sobre o tema, o Professor Jorge Miranda sublinhou que, na perspectiva da Lei Fundamental, Olivença está englobada sem equívocos nos limites de Portugal, aliás de maneira mais clara que em anteriores formulações constitucionais, apesar de não ser feita uma referencia explícita ao território.
A assunção de Olivença como parcela de Portugal é, do ponto de vista normativo, de natureza imperativa. Face a esta imperatividade, a inércia do Estado em exigir a retrocessão de Olivença, embora podendo não se traduzir em inconstitucionalidade por omissão, significa uma manifesta e relevante omissão política.
Os direitos de Portugal não se encontram prescritos, apesar do decurso de dois séculos de ocupação espanhola, uma vez que sempre as autoridades portuguesas reiteraram o não-reconhecimento da ocupação.
No caso de Olivença, não releva nem tem aplicação o direito à autodeterminação dos povos, uma vez que o conceito não pode valer contra a pertença jurídica do território a Portugal. Naturalmente, ao reintegra-se Olivença no todo nacional, terão de ser preservados e garantidos os direitos dos oliventinos, designadamente os resultantes das suas particulares ligações à cultura espanhola.
Pela actual situação de Olivença, iníqua e desrespeitadora do Direito Internacional, todos os portugueses - e não só os políticos - têm uma quota-parte de responsabilidade, em particular aqueles que, nas áreas do saber e da intervenção pública, têm negligenciado o assunto. Como lembrou o conferencista, é significativo o desconhecimento da História de Portugal entre as gerações actuais.
Na ocasião, o Professor Jorge Miranda concedeu uma entrevista à Rádio Renascença em que sublinhou :
«Nós não conseguimos ainda, em Portugal, criar o mesmo ambiente em relação a Olivença que existe na Espanha em relação a Gibraltar.
Não conseguimos ainda denunciar, de certa maneira, a hipocrisia espanhola que quer recuperar Gibraltar, que cedeu por tratado, quando Olivença deveria ter sido cedida a Portugal - deveria ter sido restituída a Portugal - mas isso não significa que vamos desistir!».
Rádio Renascença - 18-04-2005 - 22:57.
http://www.rr.pt/noticia.asp?idnoticia=132889.


Mensagem:  707
Data:  4/14/2005 7:26:37 PM
Nome:  VENUS CREATIONS
País:  CANADÁ
E-mail:  Contactar
Website:  Ver Página
Comentário:  
A nossa Administração gostaria de informar que recebemos um e.mail da "PORTUGUESE CANADIAN SOCCER LEAGUE" a informar do seu novo web site, o que o fazemos com o maior prazer, e sempre que necessitem da nossa colaboração será sempre para nós um imenso prazer.
E muitos "PARABÊNS" pelo excelente trabalho que têm feito.


Mensagem:  706
Data:  4/12/2005 4:44:14 PM
Nome:  Luis Salsa
País:  Winnipeg
E-mail:  Contactar
Website:  Ver Página
Comentário:  
Ao ler esta Biografia do grande amigo Mariano faz-me lembrar muitos momentos passados com ele fisemos uma digressão aos Açores no ano 1978 com uma cantora chamada Sonia actuamos no Coliseu e no Teatro Micaelense e tambem na ilha Terceira no Teatro Angrense em Angra do Heroismo o povo gostou imenso do nosso Show e quando ele tocou guitarra e viola ao mesmo tempo, e depois acompanhava-me nas minhas canções foi muito digno dos aplauses que levou, e mais tarde já no Canada nos anos 80, me acompanhou no restaurante O Fernando de Brampton e em muitos outros lugares, Sr. Mariano do Rego foi um Grande musico Açoreano, que Deus o tenha ao seu lado e agradeço a Venus Creations ao seu director Jose Furtado um genuino Açoreano, por fazer o que faz pelos Artistas dos Açores e Continente este verão nos Açores tenho que dar a minha familia o teu site e aos amigos.

Com os meus cordiais cumprimentos
Luis Salsa



Mensagem:  705
Data:  4/12/2005 1:34:20 PM
Nome:  VENUS CREATIONS
País:  CANADÁ
E-mail:  Contactar
Website:  Ver Página
Comentário:  
Grupo dos Amigos de Olivença>
www.olivenca.org.
Lisboa, 11 de Abril de 2005.
Ex.mo(a) Senhor(a).
O Grupo dos Amigos de Olivença realiza durante o ano corrente um Ciclo de Colóquios/Debates subordinado ao tema “Portugal, Olivença e a Dinâmica Peninsular”, no qual participam personalidades reconhecidas da Política e da Cultura.
No próximo debate, a ter lugar no dia 18 de Abril (2.ª Feira), às 18:30 horas, na Casa do Alentejo, em Lisboa, o Senhor Professor Jorge Miranda (Professor Catedrático da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa) falará sobre “A Constituição da República e a Questão de Olivença”, sendo moderador o Jornalista Carlos Albino (Correspondente Diplomático do Diário de Notícias).
Esperando contar com a presença de V. Ex.a, aproveito a oportunidade para apresentar os melhores cumprimentos..
António Marques.
(Pres. Direcção).


Mensagem:  704
Data:  4/11/2005 5:31:49 PM
Nome:  Carlos Silva
País:  Canada
E-mail:  Contactar
Website:  Ver Página
Comentário:  
Ontem, fui convidado por um Amigo do Diabo, a ir ao Clube dos vermelhos da St. Clair para ver o jogo e ao Free Barbeque, que declinei porque já tinha todo o meu Domingo programado para a Familia, e para ir comer as minhas tripas à moda do Porto.
No dia anterior tinha prognosticado que os vermelhos de Lisboa, iam vencer ao Rio Ave, e porquê?
Porque os ditos estavam de papo cheio, e como tèm um dos mais conceituados treinadores do Mundo, não seria fácil outro resultado, do que da vitória.
Demais a mais que teriam como tiveram mais simpatizantes vermelhos no Estádio dos Arcos, foi jogar em casa.
Mas, o que eu não previ, foi a atitude do nosso patricio Carlos Brito, que não tendo nunca perdido em casa, soube puxar pelos galoes dos seus jogadores e obrigá-los a que continuassem invenciveis no seu reduto. E, como sempre a verdade vem à tona, os vermelhos com a sua equipa de caceteiros, Petit, Manuel e Rocha, provaram que não têm equipa que mereça ganhar este campeonato.
Perderam e perderam muito bem, sem razão nenhuma para se lastimarem, a não ser o Petit, que no final do jogo, afirmou que os verdes de Vila da Conde, estiveram muito moralizados, com coisas que vinham de trás. Disse ainda que suspeitava da existencia de incentivos de terceiros. A rematar disse que eles pareciam que estavam a jogar uma final. Então o Rio Ave, não tem ainda hipoteses de ir à UEFA???
Que queria o bulicoso Petit, que os jogadores verdes lhe estendessem uma passadeira vermelha???. Mas, isto só tem um propósito, dizer ao meu Amigo, que lamentando nao ir ao Clube do glorioso, logo após o jogo e depois de terminar a minha Festa de Familia, passei na St. Clair, e então fiquei triste. Nao houve não houve fanfarra, era tudo negro naquele local. Será por causa da vizinhança do cemitério? Prevêm para já, que embora eu, só tinha pensado que os ultimos 3 jogos do campeonato é que eram de perder, agora tèm de somar mais este. Quer dizer que sao 12 pontos perdidos em 4 jogos, o que é muito duro.
Será que ainda lhe sobrará um lugar para a UEFA.
Conformem-se. Eu por mim, já estou, tenho bons jogadores, mas em campo são almas penadas. que passeiam as suas penas nas ventas do Dragão. Até quando?
O pior é se um anjo, lhes abre as portas do Céu.

Carlos Silva



Mensagem:  703
Data:  4/10/2005 8:32:50 PM
Nome:  Anonymous
País:  N/A
E-mail:  Contactar
Website:  Ver Página
Comentário:  

LEIA E DEVULGA O PORTAL www.venuscreations.ca



Mensagem:  702
Data:  4/10/2005 6:40:03 PM
Nome:  Mano Belmonte
País:  Toronto
E-mail:  Contactar
Website:  Ver Página
Comentário:  
MARIANO DO REGO,

Nasceu a 22 de Janeiro de 1928 na freguesia da Ribeirinha na Ilha de S.Miguel-Açores. Com a idade de 5 anos já conseguia "tirar sons" da guitarra de seu pai, exímio executante. Assim, e muito cedo, começou a participar em festas locais. Começava a "brilhar" o jovem MARIANO DO REGO com todas as limitações e, naturalmente tempos difíceis!...
Aquando do Serviço Militar, Mariano, foi convidado a actuar em directo no então «Emissor Regional dos Açores», com transmissão aos Estados Unidos da América e frotas bacalhoeiras.
Em 1952, a companhia de Teatro-Radiofónico (Companheiros d'Alegria) "regida" pela "batuta" do famoso "Igrejas Caeiro", fazem digressão pelos Açores, promovendo ao mesmo tempo um concurso à procura de novos talentos... Humilde e tímido, Mariano do Rego concorre e fica em primeiro lugar, ganha o convite de uma deslocação ao Continente...
Em 1955, a muito famosa Hermínia Silva, faz digressão às ilhas Açoreanas e o jovem guitarrista Mariano é convidado a incorporar-se nesse elenco artístico, expandindo assim, seu talento e simpatia por onde actuava.
O "velho" sonho surgiu: Mariano do Rego é convidado a deslocar-se aos Estados Unidos da América... E numa segunda visita a este país, Mariano, participa em programas de Televisão que o espande artísticamente com sucesso, fazendo, com que (mais tarde) fixe residência neste país.
Os Sucessos consecutivos alcançados pelo jovem Artista Açoreano faz com que arrebate o primeiro lugar do concurso "The New Stars Of 1956", pela execução de DUAS GUITARRAS simultâneamente.
Regressa a S. Miguel ... Em 1967 o "nosso" Mariano do Rego decidiu emigrar para o Canadá. Aqui, formou a Banda "Los Toreros", acompanhando Artistas de grande nomeada que aqui se deslocavam para espectáculos musicais e teatrais.
Mariano, internacionalizou-se e ficou famoso pelos seus peculiares "tiros" de metralhadora que ele "tirava" em "sons" da sua inseparável Guitarra e do seu capacete militar...
Mariano, gravou o seu primeiro disco (vinil) em 1962. Outras gravações surgiram acompanhando Artistas como : Avelino Teixeira. Fernandes Monteiro, Dina Maria, Dino Meira. Noélia Gaspar, entre outros... Aqui, lembramos, que fomos convidados (eu e Mariano) em 1977 a gravar nos estúdios da C.B.C./Rádio, três clássicos da Música Portuguesa, acompanhados por uma Orquestra Sinfónica de 50 elementos, de que Mariano do Rego foi Solista ( uma honra para ele).
Mariano, actuava assiduamente em Restaurantes de Toronto, dividindo-se, em deslocacões aos EUA, em especial ao estado da Flórida.
Mariano, duou ao "ROOM MUSEUM" na cidade de Toronto, UMA GUITARRA PORTUGUESA. prepétuando assim a nossa Cultura neste país.
Mariano do Rego, era profundamente religioso, e, profunda era a sua fé no Senhor Santo Cristo dos Milagres...Imagem que doou à Igreja de Santa Maria em Toronto em reconhecimento por milagre recebido.
Mariano,gravou e fez um video-clip pela última vez em 1998 e veio a falecer a 12 de Abril do ano 2000.
No dia 1 de Abril de 2001, sua Família e seus amigos, prestaram-lhe homenagem póstuma.
Dezenas de Artistas estiveram presentes e participaram num espectáculo cujo os fundos monetários angariados reverteram a favor de a crianças pobres que pretendam aprender a tocar guitarra.
MARIANO DO REGO era um Homem bom... Lembramo-nos dele com saudade.
Que descanse em Paz.

(Recolha Biográfica fornecida gentilmente pelo Sr. Avelino Teixeira, da qual muito agradecemos)
-Mano Belmonte-
manoamano@look.ca
www.venuscreations.ca



Mensagem:  701
Data:  4/10/2005 3:26:42 PM
Nome:  Conceicao Baptista
País:  Canada
E-mail:  Contactar
Website:  Ver Página
Comentário:  
Condolências

Tantas vezes eu tentei,
escrever e corrigir,
mesmo assim não encontrei,
palavras p'ra transmitir.

O meu sentido pesar,
nesta hora de aflição,
Peço á Vida p'ra te dar,
forças e conformação!

Vê se podes esquecer,
num futuro, num amanhã,
a dor que te faz morrer,
por perder a tua irmã.

Vê o que tiveram antes,
que muita gente não tem,
As alegrias constantes,
que nem a Morte, tira a ninguém!

E lembra que ela quer...
que sejas feliz aqui,
lá no Alto, onde estiver,
É sempre a mesma, irmã p'ra ti!

A amiga Conceição



Mensagem:  700
Data:  4/10/2005 1:16:47 AM
Nome:  Carlos A. Silva
País:  Toronto, Canada
E-mail:  Contactar
Website:  Ver Página
Comentário:  
Esta é uma semana para esquecer.

Com acontecimentos muito especial para os católicos, e para mim que sucede, que sou do Porto, que vivo com tudo o que respeita à minha cidade e tambem como não podia deixar de ser, sou dos que padecem quando o meu Clube perde. Mas, refletindo bem, continuo a viver na esperança, de que nem tudo está perdido.
Estamos a construir uma nova equipa, e então para o Ano daremos mais luta. Mas para agora, penso que O Benfica vai passar logo no Rio Ave, porque senão passar, está perdido, antes do tempo. Vai ganhar ao Leiria, e concerteza vai ganhar ao Estoril, embora o patrão da equipa da Costa do Sol, seja o director principal do Benfica, e o Figueiredo seja um doente das cores vermelhas, nem que o Estoril precise dos pontos como de pão para a boca, ninguém vai facilitar.
O pior vem a seguir, o Penafiel, e o Oliveira, não vai em cantigas e começa o descarrilhamento, a seguir tem o Sporting que mesmo na Luz, não vai perder.
O Leão está subindo e está enfurecido.
Os benfiquistas vão dizer mas donde saiu este Leão selvagem, e para finalizar o campeonato no ultimo jogo o Benfica vai ser destroçado pelo Boavista, que tambem quer ir à Champions League.

Deixem-me sonhar.
Carlos Silva



Mensagem:  699
Data:  4/7/2005 3:57:45 PM
Nome:  VENUS CREATIONS
País:  CANADÁ
E-mail:  Contactar
Website:  Ver Página
Comentário:  
Olivença fora da agenda Ibérica
JOÃO FIGUEIRA.
A idéia era discutir a política externa, segurança e defesa na Europa. Para isso se prepararam os conferencistas, que, após as respectivas intervenções, esperavam que o desafio lançado à sala pelo embaixador José Cutileiro, moderador da sessão, fosse inteiramente respeitado. Não foi.
Um empresário da Maceira foi o primeiro a sair do tema. Um técnico de contas seguiu-se-lhe. Por fim, alguém questionou Martins da Cruz sobre a questão de Olivença.
O ministro respondeu que, sendo uma questão com tantos anos, «não queira que eu a resolva esta noite». E que o assunto não está na agenda dos governos Ibéricos. Informação OlivençaNet (204


 
Página 87 de 157

Página Anterior

Página Inicial

Página Seguinte

© Venus Creations. Todos os Direitos Reservados.