Comentários

Página 57 de 158

Com um total de 1571 comentários.

Página:  Anterior  1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14  15  16  17  18  19  20  21  22  23  24  25  26  27  28  29  30  31  32  33  34  35  36  37  38  39  40  41  42  43  44  45  46  47  48  49  50  51  52  53  54  55  56  57  58  59  60  61  62  63  64  65  66  67  68  69  70  71  72  73  74  75  76  77  78  79  80  81  82  83  84  85  86  87  88  89  90  91  92  93  94  95  96  97  98  99  100  101  102  103  104  105  106  107  108  109  110  111  112  113  114  115  116  117  118  119  120  121  122  123  124  125  126  127  128  129  130  131  132  133  134  135  136  137  138  139  140  141  142  143  144  145  146  147  148  149  150  151  152  153  154  155  156  157  158  Seguinte
Mensagem:  1011
Data:  5/29/2006 5:45:09 PM
Nome:  AVELINO TEIXEIRA
País:  CANADA
E-mail:  Contactar
Website:  Ver Página
Comentário:  
Dizer adeus foi sempre muito difícil para mim. Nem mesmo um simples adeus e até logo... Ao fazê-lo sempre sinto uma certa nostalgia... É como algo que se desprende do meu ser e me deixa mergulhado num profundo abismo e abandono sem possibilidade de revitalização.
Durante a minha vida já tive que, (pelo menos desde que o meu Pai me começou a enviar aos funerais em sua representação), dizer adeus a muitas pessoas conhecidas, amigos e familiares e destes os que mais me doeram foram os meus irmãos e por fim o meu Pai apesar da sua bonita idade, porque estes foram até sempre!...
E eu pergunto; mas porquê se eu sou católico e fui ensinado a acreditar na reencarnação... E se esta é parte da nossa crença, como a professamos todos os dias nas nossas orações, então porque não nos acostumamos ao terminus a que fomos subjugados e encaramo-lo com mais naturalidade... É que por mais que queiramos fazê-lo quando chega o momento para o último suspiro de quem nós amamos voltamos a cair naquele profundo abismo quase sem força para revitalizar. E só quem o poderá entender serão aquelas pessoas que infelizmente o experimentaram como é o caso dos membros da simpática família Furtado.
Esta tarde ao ligar o meu computador, depois de involuntariamente me ter ausentado dele durante o fim de semana, deparei-me com a notícia entristecedora do falecimento do Senhor João da Costa Furtado que deixa enlutada a sua esposa Dona Isaura Furtado, sua filha Maria Silva e seus dois filhos John e Joe Furtado criadores e empreendedores desta página a que chamamos www.venuscretions.ca.
Será através dela que hão-de chegar inúmeras mensagens do Mundo Lusófano contendo as palavras mais confortantes e sensibilizadoras que cada um dos mensageiros tentou encontrar para suavisar a dor dos enlutados.
Creio que essas mensagens serão de estrema importância para eles mas acima de tudo serão as agradáveis recordações do saudoso Senhor João da Costa Furtado que ao longo da sua vida tentou, incansavel-e-persistentemente, ser um exemplar chefe de família e um bom cidadão. E é exactamente por isso que hoje em uníssono o recoradamos com uma profunda saudade e o entregamos ao Senhor nosso Deus...
Para o grande e incondicional Amigo Joe Furtado e toda a sua Digma Família as mais sentidas condolências...

Avelino Teixeira



Mensagem:  1010
Data:  5/29/2006 3:40:56 PM
Nome:  Vitor Pereira
País:  Portugal
E-mail:  Contactar
Website:  Ver Página
Comentário:  
Acabei de saber do sucedido e nestes momentos pouco há dizer...

Limito-me a enviar as minhas condolências a toda a família e amigos, em especial para o meu amigo Joe Furtado com um forte abraço.

Vitor Pereira



Mensagem:  1009
Data:  5/29/2006 3:30:16 PM
Nome:  Carlos Silva
País:  Portugal
E-mail:  Contactar
Website:  Ver Página
Comentário:  
Ao Amigo Joe, daqui do meu cantinho, não tenho palavras para expressar tudo o que sinto nestes momentos.
São situações, porque afinal todos passamos, mais dia menos dia, mas é sempre impossivel, dizer o que nos vai na alma nestas ciscunstancias.
Meu bom Amigo podes crer que estou agora mesmo a teu lado.
Ampara-te em mim.
Apresento a ti e a toda a tua familia, as minhas sinceras condolências, deste teu amigo e da minha familia.

Carlos Silva



Mensagem:  1008
Data:  5/29/2006 3:21:52 PM
Nome:  Al Raposo
País:  USA Virginia
E-mail:  Contactar
Website:  Ver Página
Comentário:  
Meus sentimentos sr. JO E SUA FAMILIA um gr ABRAÇO

AL RAPOSO



Mensagem:  1007
Data:  5/29/2006 3:20:42 PM
Nome:  Clara abreu
País:  Canada
E-mail:  Contactar
Website:  Ver Página
Comentário:  
Caro Joe e familia,

Sentidos pesames pelo falecimento de seu pai.
Coragem para vos e que ele descanse em paz.

Um abraco amigo,
Clara



Mensagem:  1006
Data:  5/29/2006 3:03:48 PM
Nome:  Norberto Sousa
País:  France
E-mail:  Contactar
Website:  Ver Página
Comentário:  
Caro amigo pois é com grande pena que soube da noticia.
Os meus melhores sentimentos, e força para suportar a sua magua.
Saiba que estou sempre disponivél, para falarmos de qualquer coisa, sabendo que sei o que sente, e que nem sempre é facil de gerir as nossas penas.
Não esite, saiba que é sempre mais facil de desabafar um pouco para mudar de ideias.
Pode contar comigo se sentir a necessidade, para falarmos de musica projetos e outras coisas que nos animam e ajudam a superar as dificuldades da vida. Temos de nos agarrar aquilo que nos faz viver e de positivo, e continuar a obra e o envestimento daqueles que algo deixaram e dessa forma eles continuam a viver a jamais em nos.
Sinceros sentimentos e um abraço amigo
Gostava que um dia colocasse uma rosinha num dia de visita em meu nome, porque tenho um pensamento para você e seu pai, e tenho tb a agradecer da vossa presença e amizade em momentos que eu tive dificeis, por vezes algumas palavras mudam tudo.

Norberto Guerreiro
Lyon França



Mensagem:  1005
Data:  5/29/2006 3:02:27 PM
Nome:  Luis Salsa
País:  Winnipeg
E-mail:  Contactar
Website:  Ver Página
Comentário:  
Carissimo Amigo Jose Furtado e familia, e com imsenso pesar ao saber esta noticia que fica no pensamento.
E na memoria de todos OS teus amigos que São do peito, mais um filho de Portugal que nos deixa, que Deus O guarde.
Amigo de longa data teu pai, estou vivendo contigo e todos OS teus familiares este deloroso momento em ispirito O teu Amigo e admirador (DA Venus Creations)

Luis Salsa



Mensagem:  1004
Data:  5/29/2006 2:58:42 PM
Nome:  Euclides Cavaco
País:  Portugal
E-mail:  Contactar
Website:  Ver Página
Comentário:  
Ola amigo Joe.
Lamento as noticias que acabei de receber apos a o meu regresso de Coimbra sobre a partida de seu extremoso pai.
Apresento ao meu amigo e sua Exma famíla as nossas mais sentidas condolências neste momento de dor.
Estarei solidário com o meu bom amigo neste momento difícil.
Que Deus o ajude a compreender esta tão triste realidade.

Euclides Cavaco
ecosdapoesia@netcabo.pt
www.euclidescavaco.com



Mensagem:  1003
Data:  5/29/2006 2:50:04 PM
Nome:  VENUS CREATIONS
País:  CANADÁ
E-mail:  Contactar
Website:  Ver Página
Comentário:  
Grupo dos Amigos de Olivença

Divulgação 06-2006
A Questão de Olivença é reportada pela CIA (“The World Factbook")

O Relatório Informativo da CIA de 2006 (“The World Factbook") dá notícia do litígio que opõe Portugal e Espanha a propósito de Olivença:
«Disputes - international: Portugal does not recognize Spanish sovereignty over the territory of Olivenza based on a difference of interpretation of the 1815 Congress of Vienna and the 1801 Treaty of Badajoz» ( )

O assunto é explicado por Carlos Luna (membro da Direcção do GAO), em artigo que se transcreve:
AS HESITAÇÕES DA C.I.A. Tudo começou em 2003. A instituição norte-americana C.I.A. publica, desde há muito, uma espécie de relatório anual, o "The World Factbook", agora na "Internet". Esse relatório, actualizado anualmente, contém dados de todo o tipo sobre todos os países e territórios do mundo, como estatística.
Não se trata de uma selecção com intuitos políticos, ainda que, como sabemos, nada seja neutro neste mundo.
No que toca a disputas territoriais, eram assinaladas mais de 160, incluindo discordâncias fronteiriças entre o México e os próprios Estados Unidos. O que era novidade era a inclusão de mais uma disputa. De facto, lia-se, no que a Portugal dizia respeito: "Portugal tem periodicamente reafirmado reivindicações sobre os territórios em redor da cidade de Olivença (Espanha)".
Claro que, no que a Espanha se referia, também era assinalada a disputa:"Os habitantes de Gibraltar votaram esmagadoramente em referendo contra o "acordo de total partilha de soberania" discutido entre a Espanha e o Reino Unido para mudar trezentos anos de governo da colónia; Marrocos protesta contra o controle espanhol sobre os enclaves costeiros de Ceuta, Melilla, o Peñon de Velez de la Gomera, as ilhas de Peñon de Alhucemas, as ilhas Chafarinas e as águas circundantes; Marrocos rejeita também o traçado unilateral de uma linha média a partir das Canárias em 2002 para estabelecer limites à exploração de recursos marinhos e interdição de refugiados; Marrocos aceitou que os pescadores espanhóis pescassem temporariamente na costa do Sahará Ocidental, depois de um derrame de crude ter sujado bancos de pesca espanhóis; Portugal tem periodicamente reafirmado reivindicações sobre os territórios em redor da cidade de Olivenza (Espanha)".
A disputa de Olivença surgia, pois, naturalmente, entre outras reivindicações ibéricas e mais de uma centena e meia de outras por todo o mundo.
As reacções em Espanha, todavia, excederam o compreensível. Vários jornais noticiaram que a C.I.A. comparava Olivença a Caxemira e a Gaza, e davam a entender que a C.I.A. via movimentos terroristas (?) na Terra das Oliveiras.
Chegou-se ao cúmulo de se fazerem entrevistas com autoridades locais, que troçaram da estupidez da C.I.A. e desafiaram os seus agentes a procurar terroristas por aqueles lados.
Nenhum, mas nenhum mesmo, jornal ou revista espanhóis publicou o texto original da C.I.A.!
E isto apesar de todos terem recebido, repetidas vezes, o mesmo, em inglês, castelhano, português, e catalão!
O mais bizarro sucederia no ano seguinte. A C.I.A. reformulou o seu relatório, e, no que toca a Olivença, 2004 viu surgir a espantosa afirmação de que "alguns grupos portugueses mantêm reivindicações adormecidas sobre os territórios cedidos a Espanha em redor da Cidade de Olivenza".
Note-se que este discurso é, quase palavra por palavra, o discurso "oficial" espanhol sobre este contencioso.
Era possível, todavia, fazer pior. Em 2005, desaparecia do relatório da C.I.A. qualquer referência a Olivença. Portugal, no que toca a disputas/reivindicações internacionais, surgia classificado com um "none" (isto é, "nenhuma"; uma só palavra...talvez para poupar espaço...
A bizarria ia mais longe. Um pequeno mapa de Espanha acompanhava o texto sobre este país. Pela primeira vez, Olivença surgia nele. Ao lado de cidades como Córdova, Sevilha, Granada, Madrid (naturalmente), Valladolid, e outras, todas capitais de províncias, não o sendo a cidade em litígio.
Duma forma afinal cómica, o Mapa não mostrava cidades como Badajoz, Cáceres, Mérida, Salamanca, ou Pamplona.
Era evidente que "Olivenza" fora incluída, digamos, "à força". O que causa espanto e indignação neste caso é a facilidade com que a C.I.A., tida como a mais poderosa e "sabedora" organização de informações do mundo, antes decerto de se informar, por exemplo, junto do Governo Português, se foi aparentemente deixando "seduzir" por pontos de vista espanhóis.
Felizmente, em 2006, a situação foi recolocada em termos, em geral, correctos. Decerto "alguém" do Estado Português, verificando o erro, se deu ao trabalho de informar a C.I.A. de que Portugal mantém mesmo reservas sobre a soberania espanhola em Olivença.
Recorde-se que esta questão ganhou nova importância com o Alqueva, dados os problemas ligados à posse das águas no Guadiana.
Assim, desde Maio de 2006, pode-se ler na "CIA Homepage", sobre Portugal, no que toca a disputas internacionais, o seguinte: "Portugal não reconhece a soberania espanhola sobre o território de Olivença com base numa diferença de interpretação do Congresso de Viena de 1815 e do Tratado de Badajoz de 1801." No que a Espanha diz respeito, pode ler-se : "em 2003, os habitantes de Gibraltar votaram esmagadoramente, por referendo, a favor de permanecerem como colónia britânica, e contra uma solução de "partilha total de soberania", exigindo também participação em conversações entre o Reino Unido e a Espanha.
A Espanha desaprova os planos do Reino Unido no sentido de dar maior autonomia a Gibraltar; Marrocos contesta o domínio da Espanha sobre os enclaves costeiros de Ceuta, Melilla, e sobre as ilhas Peñon de Velez de la Gomera, Peñon de Alhucemas e Ilhas Chafarinas, e as águas adjacentes; Marrocos funciona como a mais importante base de migração ilegal do Norte de África com destino a Espanha; Portugal não reconhece a soberania espanhola sobre o território de Olivença com base numa diferença de interpretação do Congresso de Viena de 1815 e do Tratado de Badajoz de 1801." A ver vamos se esta "versão", que é razoavelmente correcta, se mantém, e se o Estado Português estará atento a novas "alterações".
Na verdade, o conflito (pacífico) fica circunscrito às suas verdadeiras dimensões: um entre outros da Península Ibérica, e entre mais de centena e meia de outros por esse mundo fora, que os interessados deverão resolver quando surgir ocasião.
Como deve ser sempre. O que, afinal, já tinha sido escrito em 2003. Estremoz, 28-Maio-2006 Carlos Eduardo da Cruz Luna



Mensagem:  1002
Data:  5/28/2006 10:01:26 PM
Nome:  Lindsay Moita e Familia
País:  Brampton, Canada
E-mail:  Contactar
Website:  Ver Página
Comentário:  
Joe, os nossos sentimentos para si e a sua família. Joe,may your father rest in peace and give you strength through this very difficult time. Our deepest sympathy to you and your family. God Bless you all ! Lindsay Moita and Family


 
Página 57 de 158

Página Anterior

Página Inicial

Página Seguinte

© Venus Creations. Todos os Direitos Reservados.